Atualmente, o clareamento dental pode ser feito de várias maneiras, com métodos caseiros ou em consultório, ambos os casos com uso de géis de diferentes concentrações, aplicados aos dentes, mas sempre recomendada sua realização sob supervisão do dentista.

Pesquisadores descrevem a potencialização da eficácia do processo de clareamento com o uso de LED VIOLETA associado à aplicação de gel de peróxido de hidrogênio ou carbamida. Bons resultados de clareamento também foram obtidos utilizando apenas a luz violeta sem o gel clareador, mas com esse processo o clareamento obtido é um pouco menor.

A luz violeta LED tem energia suficiente para “quebrar” os pigmentos que dão a coloração ao dente, em especial as manchas causadas por café. Manchas inorgânicas ( por ex. contaminação por sangue nos casos de trauma), são mais difíceis de serem removidas.

A grande vantagem da luz violeta LED, sem associação ao gel é que a sensibilidade, normalmente relatada com o uso do gel, não está presente com o uso apenas do LED violeta, o que facilita estabelecer tratamentos de clareamento em pacientes que já têm sensibilidade previamente ao clareamento ( presença de retrações gengivais , problemas gengivais, esmalte de menor espessura e hipersensibilidade dentinária).

Os métodos convencionais ainda são realizados, com resultados muito bons, utilizando moldeiras (clareamento caseiro) ou com o uso da luz laser e os géis de peróxido de hidrogênio ou carbamida. Há casos em que associamos o clareamento caseiro e em consultório( laser).

As opções por este ou aquele método devem levar em conta cada caso, analisado individualmente, daí a importância de uma boa avaliação clínica, entendendo a real necessidade e expectativa do paciente, para o sucesso do tratamento.